1. Introdução

Britain sempre foi um reino próspero, onde a paz reinava. Capital de Britannia, um mundo que nunca havia experimentado guerras internas entre suas cidades, apesar de que muitas dessas nunca aceitaram muito bem a autoridade de seu governante Lord British, por serem igualmente prósperas e ricas. Apesar disso, tinham seus próprios representantes na cúpula do governo e exerciam também um certo poder sobre a vida do local.

Mesmo com as divergências sobre quem deveria ter mais poder, reinava um clima de amizade entre os políticos locais, apesar das contestações, todos eram amigos e torciam pelo sucesso de seus colegas. Para a infelicidade do povo, essa situação um dia chegou ao fim.

2. Personagens

Lord British

Soberano de Britain, e consequentemente de toda Britannia, British é um rei muito bom, sensível para com os problemas de seu povo e justo ao extremo. Apesar disso, muitos o contestam por tentar mandar sozinho no reino e não ouvir muito as reivindicações dos comandantes de outros reinos e de seus conselheiros.

Lord BlackThorn

Principal conselheiro de Lord British, Lord Blackthorne é um homem misterioso, cujo passado nem o próprio British tem conhecimento. Sempre se mostrou insatisfeito por não ser atendido pelo rei. Muitos dizem que ele planeja matar seu soberano e se tornar assim o grande rei de Britain.

Lord TressHorn

O segundo em poder no mundo de Britain, Tresshorn é um dos poucos governantes que se posiciona claramente contra Lord British. Mantém uma certa amizade com Lord Blackthorne, o que causa dúvidas sobre a população do reino, que acha que os dois estão armando um golpe de estado para tomar o poder. Governante da cidade de Serpent's Hold, Tresshorn é um mago poderoso, sendo este o principal motivo que o leva a ser tão influente dentro de Britannia. Causou uma grande polêmica quando decidiu acabar com a proteção dos guardas em seu reino, atraindo diversos assassinos e criminosos para a cidade.

Lord Hess

Governador da cidade de Minoc, Hess também tem grande influência nas decisões tomadas em Britannia. Apesar disso, tem uma grande rivalidade com Lord Tresshorn, que considera um traidor. Grande amigo de Lord British, treinaram juntos e são grandes guerreiros.

3. As 15 Gemas!

Realizava-se naquele momento mais um encontro mensal entre os Lords e seus conselheiros no grande castelo de Lord British. Todos estavam lá ansiosos, porque British anunciou que faria um importante pronunciamento. Disse que seria uma revolução, algo que ajudaria muito aos Lords a ter mais poder sobre seu reino, principalmente para se defender dos monstros que insistiam em atacar cidadãos nos arredores dos reinos. Apenas ao ouvir isso, Blackthorne ja se sentiu mais revoltado ainda, pois achava que o aumento de poder dos Lords diminuiria o seu, que já considerava pouco.

Finalmente British anunciou:

- Lords, gostaria de anunciar o mais novo artifício que será usado para contermos os ataques constantes de monstros que viemos sofrendo: As 15 gemas!

Todos se olharam, sem entender o que 15 gemas poderiam ter de tão especial. British, percebendo a curiosidade dos presentes, continuou:

- Companheiros, essas gemas são cristais preciosos, cheios de energia , que serão usados pelos melhores ferreiros de nosso mundo para fabricarmos armas mágicas para nossos exércitos! E além disso, cada um de nós terá uma arma personalizada, que será feita usando a parte mais pura de cada gema e terá poderes nunca antes visto em toda Britannia. Cada arma terá poderes diferentes, de acordo com os poderes de cada Lord e das características de seu reino!

Os Lords, aplaudiram com emoção, mostrando que realmente haviam se interessado pela novidade e apoiavam British. Apenas uma pessoa naquele salão não havia gostado de todas aquelas novidades: Lord Blackthorne, que se sentiu inferior por não ter sua própria arma. Assim, a reunião acabava, com todos os Lords voltando para seus respectivos reinos, e com o início do plano de dominação do conselheiro maléfico.

4. O Início do Plano

Blackthorne sonhava em tomar o poder e já havia decidido que faria de tudo para acabar com seu rei mas não tinha plano algum em mente e principalmente não sabia como derrotaria British agora que ele andava sempre com sua nova arma, Heaven's Slayer, uma poderosíssima espada, que aliada à grande habilidade do rei nos combates não daria a menor chance à Blackthorne.

O conselheiro traidor já começava a se conformar, achando que seria impossível realizar seu plano maquiavélico. Mas sua sorte mudou rapidamente com uma descoberta inesperada.

5. O Novo Mundo

Sempre se imaginou que Britannia era composta pelo grande continente ao norte, composto por 8 reinos continentais, 5 insulares(situados em ilhas) e as áreas que não constituíam reinos, pouco habitadas. Mas alguns aventureiros diziam conhecer pessoas que sabiam da existência de uma área inexplorada, cuja entrada só seria possível através de passagens secretas.Obviamente os governantes nunca deram atenção à esses fatos, por considerarem que não passavam de boatos.

Tudo isso mudou quando Lord Kraken, soberano do reino de Buccaneer's Den, um dos Lords mais mal-vistos em Britannia devido às suspeitas de não apenas financiar piratas famosos, mas também ser um, (fato que jamais admitiu publicamente para não sofrer represálias dos outros Lords), ao navegar numa área próxima à Trinsic, junto com seus companheiros piratas, foi magicamente teletransportado para uma área que nunca havia visto antes. Só pelo fato de Kraken não conhecer a área, sendo o pirata experiente que era, ja sabia-se que aquela era um lugar inexplorado.

Depois de dar apenas uma olhada, Kraken voltou pelo mesmo lugar que havia entrado e magicamente estava de volta à Britannia. Ao chegar, imediatamente reportou à Lord British sua descoberta. British imediatamete rumou para lá, junto com Kraken, Blackthorne e Hess, para um reconhecimento do local. Para azar do soberano, ele precisou voltar antes, para resolver problemas internos do reino e pediu para que os 3 ficassem e procurassem outras entradas e principalmente explorassem toda a área.

Foi o que aconteceu: depois de algum tempo de exploração, o trio havia feito mapas(Hess era um grande cartógrafo), retratando o Novo Mundo como ficou conhecido, acharam 2 cidades, conseguiram se comunicar com o povo do local, catalogaram todas as entradas(ficaram surpresos ao descobrir que no final do arcaico esgoto de Britain ficava uma entrada para o Novo Mundo), enfim, fizeram tudo que British havia pedido.

Kraken e Hess partiram, mas Blackthorne resolveu ficar mais um tempo. Durante esse tempo, procurou algum artefato, alguma arma, qualquer coisa desconhecida do Velho Mundo, afim de se tornar mais poderoso. No início não encontrou nada além de novos animais(domou uma espécie de Dinossauro por ele chamada de Zostrich), novas plantas e novas pessoas, mas nada mágico, nem armas, nem armaduras, nada que causasse muita surpresa nos habitantes de Britannia.

6. A 16ª Gema

Blackthorne, ja pensava em desistir de seu audacioso plano enquanto andava pelos arredores da pequena cidade de Delucia, perto de um lago, quando de repente, sentiu uma energia estranha, emanando de uma pequena ilha situada no meio do lago. A princípio relutou em ir até a ilha, já que não tinha a intenção de se molhar, mas a curiosidade falou mais alto. Nadou uma pequena distância e alcançou a ilha, aparentemente deserta.

Alguma coisa lhe dizia que algo importante estava escondido lá. Foi então que ele percebeu um pequeno desnível no solo, que indicava que algo estava enterrado ali. Nem pensou 2 vezes: rapidamente começou a cavar e em pouco tempo encontrou um baú. Baú comum, desses vendidos por qualquer carpinteiro. Um frágil cadeado trancava-o, o que não foi problema para Blackthorne: usando uma de suas magias mais comuns, Magic Arrow, ele quebrou o velho e enferrujado cadeado.

A maior surpresa ele teve quando abriu o baú: um brilho vermelho emanava de dentro dele e aumentava ainda mais a curiosidade do conselheiro. Olhando melhor para o interior do baú, ele pode ver uma gema igual à que seria usada por Lord British para forjar as armas especiais que seriam usadas pelos outros Lords. A sorte havia ajudado Blackthorne: ele havia acabado de achar a gema representante da cidade de Delucia, o que significava que ele agora poderia fabricar sua própria arma especial e iria além: poderia equipar um exército próprio com armas mágicas e finalmente iniciar seu plano de dominação.

Logo após a descoberta, ele partiu para Britain, onde contrataria um bom carpinteiro e fabricaria a mais maligna arma que já se teve notícia: Daemon's Hand, um poderosíssimo bastão mágico.

7. Começa a Guerra

Era um belo dia de sol. Todos estavam nas ruas, aproveitando o dia no reino, alguns vendendo seus produtos, outros caçando, mas a maioria estava apenas passeando pela alegre Britain.

Tudo corria bem até que de longe pode se avistar uma grande tropa de soldados, vestidos num uniforme preto e marchando através do cemitério, sob a liderança de Lord Blackthorne. O povo, em pânico, tentou se refugiar mais ao centro da cidade, onde os guardas faziam a proteção. Os próprios guardas não entenderam quando viram todo aquele exército indo rumo ao centro da cidade sob a liderança do respeitável conselheiro Lord Blackthorne. O chefe da guarda, tentou para-los, e perguntou:

- Lord Blackthorne, o que você está fazendo aqui?

- Vim tomar o que é meu de direito, tire seus homens daqui agora, preciso chegar rápido ao palácio de Lord British.

- Me desculpe senhor, mas não deixarei-o passar. Temos ordens de fazer a proteção desta cidade à todo custo!

- Pois então, todos vocês sofrerão minha ira!

Blackthorne, com seu bastão, invocou um Blood Wyrm, que rapidamente atacou e matou o chefe da guarda. Logo após ordenou a todos seus soldados que fossem, junto com ele, diretamente para o castelo de British e matassem todos que se opusessem. E assim foi feito: mesmo com armas Heaven(forjadas com a gema de Britain), os soldados da capital não conseguiram impedir o avanço das tropas malignas de Blackthorne rumo ao palácio real. Chegando no portão, o líder da revolução gritou, avisando Lord British que estava entrando para tomar-lhe o trono:

-British, eu me declaro o novo imperador de Britain e de todo o reino de Britannia! Saia agora de seu castelo ou irei invadi-lo e tomar o poder a força!

Ouvindo a voz de seu ex-conselheiro principal, Lord British retrucou:

- Vou sair, mas não para renunciar, e sim para matar você traidor! Agora você sentirá o poder de minha espada!

- Hahaha! Acho que você não sabe, mas também consegui uma arma mágica com o poder das gemas! Desça aqui e vamos lutar pelo controle de Britannia!

- Você pagará por isso Blackthorne!

Lord British desceu, e, junto com seu exército, começou a guerrear com Blackthorne. Apesar de muito disputada, a guerra acabou sendo vencida pelas tropas do governo, que estavam em número maior. Mas o esperado conflito entre os ex-aliados e agora inimigos mortais acabou não acontecendo. Blackthorne recuou mas sem antes avisar:

-Você pode ter vencido esta batalha, mas a guerra mal começou! Me aguarde.

Assim o ex-conselheiro fugiu, com suas tropas menores mas causando também um grande estrago às tropas reais.

8. A Aliança Maligna

Depois de a notícia da guerra recém declarada percorrer todo o reino, British começou a preparar suas tropas para a guerra e a pedir a ajuda de outros reinos no confronto que estava para começar. Ele reuniu todos os Lords numa reunião de emergência e pediu a ajuda deles. Para sua surpresa, todos compareceram, exceto um: Lord Tresshorn. Ao invés de ir pessoalmente, ele mandou um mensageiro, que na reunião anunciou a surpreendente notícia:

-Lord Tresshorn pediu para avisá-los de que não compareceu a esta reunião porque decidiu lutar ao lado de Lord Blackthorne pelo fim da tirania de Lord British.

Todos ficaram surpresos ao saber que mais um dententor de armas mágicas estava contra o governo central. Ainda mais este sendo Lord Tresshorn, considerado o mais poderoso mago de Britannia e dono de um grande exército de criminosos e mercenários.

Havia também outro problema para Lord British resolver: nem todos os Lords decidiram que o apoiariam constantemente. Tirando Lord Hess, todos os outros disseram que caso fosse necessário, mandariam reforços, mas não mandariam tropas para a concentração em Britain. Eles temiam que deixando grande parte de seus exércitos fora da cidade, poderiam ser invadidos.

Assim começava a tomar forma uma terrível guerra, a maior de todos os tempos em Britannia. Muitos consideravam que seria uma guerra entre o bem e o mal, uma guerra pelo devastadora assim como qualquer guerra envolvendo essas 2 facções. Assim, para os diversos guerreiros, magos, trabalhadores e cidadãos normais, era o início de muitas aventuras...